Bispo preso em Minas Gerais estuprou fiéis e obrigou aborto

Bispo é presidente da Igreja Internacional Plena Paz, que fica em Belo Horizonte. Foto: Reprodução Vídeo/Facebook/Polícia Civil de Minas Gerais

O bispo Marco Aurélio de Freitas Melo, de 42 anos, foi preso pela Polícia Civil de Minas Gerais. Ele é presidente da Igreja Internacional Plena Paz, em Belo Horizonte, e é suspeito de estuprar mulheres que frequentavam sua igreja. Além disso, ele também é investigado por obrigar que ao menos uma das vítimas fizesse um aborto.

De acordo com informações da Polícia Civil, até o momento, foram contabilizadas cerca de 10 vítimas de abusos. Quatro pessoas que também teriam sido estupradas devem ser ouvidas na delegacia pela equipe que cuida do caso.

Ele também é suspeito de desviar dinheiro e bens que tinham sido doados à igreja e estelionato. Segundo as investigações, os prejuízos cometidos pela quadrilha somam cerca de R$ 1 milhão. Porém, os valores podem chegar ao dobro no fim das investigações.

Segundo relatado pela Polícia Civil, o suspeito também enganava outros pastores para que eles investissem em um empreendimento em Goiás que, teoricamente, daria vários lucros. Porém, isso nunca acontecia.

Além dele, outras quatro pessoas foram presas na operação que foi nomeada pela polícia como “Falso Profeta”. Uma delas, foi a esposa de Marco Aurélio. Também foram apreendidos documentos, notebooks, celulares e veículos.

A polícia afirmou que o bispo e a mulher dele fugiram para Brasília quando souberam dos mandados de prisões contra eles. Mas a Polícia Civil do Distrito Federal conseguiu achar os dois e fazer as prisões. Assim, eles foram levados de avião para Minas Gerais.