'Eternizei Henry na pele', diz pai sobre tatuagem com rosto de menino

·1 minuto de leitura

Em janeiro deste ano, o engenheiro Leniel Borel de Almeida comprou, pela internet, um urso de pelúcia gigante para o filho, Henry Borel Medeiros, de 4 anos. Quando o brinquedo foi entregue em sua residência, uma cobertura no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, para a surpresa dos dois, ele estava vazio. O que poderia gerar choro da criança, pela expectativa frustrada com o presente, se transformou em uma tarde de alegria e diversão: pai e filho, juntos, passaram horas em uma loja de espuma sintética em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, comprando enchimento e dando forma ao urso, chamado de Jorge pelo menino.

Para eternizar aquele momento, Leniel decidiu, nesta quinta-feira, dia 6, reproduzir em seu corpo uma das dezenas de fotos que tirou de Henry abraçado a Jorge. A imagem em que ele aparece sorrindo foi tatuada em seu braço esquerdo, durante uma sessão de sete horas em um estúdio em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

— Eternizei Henry na minha pele, em uma tatuagem linda — contou Leniel, em entrevista ao EXTRA.

Para Gustavo Tattoo, profissional com mais de 20 anos de experiência e especialista em reprodução de foto realista, com mais de mil imagens no currículo, esse, sem dúvida, foi o trabalho “mais difícil” de sua carreira.

— Como pai de três filhos, me emocionei muito ao ter conhecimento desse caso. Na semana passada, um seguidor me sugeriu de oferecer a tatuagem como presente para homenagear o Henry, marcando para sempre o filho no corpo dele. Durante a sessão, Leniel não parou de falar como o menino era lindo, se emocionando e me emocionando também — contou o artista.