Etiópia ataca capital de Tigré e moradores fogem de cidade vizinha

·1 min de leitura
Membros da Força Nacional de Defesa da Etiópia durante missão em Sanja

ADDIS ABABA (Reuters) - O governo da Etiópia lançou um ataque aéreo nesta sexta-feira contra a capital de Tigré, região do norte do país sob controle de rebeldes, e moradores de uma cidade da região vizinha de Amhara disseram que muitos moradores estão fugindo dos combates cada vez mais intensos.

Fontes humanitárias e a Frente de Libertação do Povo Tigré (TPLF), que controla a região, disseram que a ofensiva aérea atingiu uma universidade da capital regional Mekelle. O porta-voz governamental, Legesse Tulu, disse que o ataque atingiu uma antiga base militar hoje ocupada por combatentes do TPLF e negou que a universidade tenha sido alvejada.

A Reuters não conseguiu confirmar nenhum dos relatos de maneira independente. A TV Tigré, controlada pelo TPLF, noticiou que 11 civis foram feridos pelo ataque. Foi no mínimo o quarto dia em que Mekelle foi atacada nesta semana.

A Organização das Nações Unidas (ONU) suspendeu todos os voos para Mekelle depois que um avião com 11 passageiros teve que abortar um pouso nesta sexta-feira, disse seu porta-voz, Stéphane Dujarric. O voo da ONU saído de Adis Abeba havia sido autorizado por autoridades federais, explicou ele, mas foi orientado "pela torre de controle do aeroporto de Mekelle a abortar o pouso".

O avião voltou em segurança à capital etíope, disse Dujarric, acrescentando que agências da ONU estão "analisando cuidadosamente as circunstâncias" do que aconteceu.

O conflito de quase um ano entre o governo e forças aliadas ao TPLF já matou milhares de pessoas e deslocou mais de dois milhões.

(Reportagem Redação Adis Abeba; reportagem adicional de Maggie Fick, em Ayenat Mersie e Nairóbi, e Michelle Nichols, em Nova York)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos