‘Eu me arrependo profundamente’, diz autor do post que atacou senador Contarato

·2 min de leitura

BRASÍLIA — O responsável pela divulgação de uma foto exposta do senador Fabiano Contarato (Rede-ES) e seu filho afirma se arrepender da publicação e diz que pediria desculpas ao parlamentar. A imagem foi tirada enquanto Contarato estava na praia com o filho e vinculada com mensagem ofensiva. O senador registrou um Boletim de Ocorrência e o caso será investigado pela Polícia Federal (PF).

"Eu me arrependo profundamente de ter feito isso. realmente me arrependo, eu não sabia que ia ter uma repercussão tão grande assim", comentou Giovani Loureiro ao jornal A Gazeta. Ele foi apontado como o responsável pela postagem ofensiva.

A publicação de Giovani levava a legenda: “eu agora a pouco (sic) na minha praia e vem esse infeliz sem vergonha, e ainda traz o filho adotivo para fazer ‘marketing’! Aqui no ES esse senador jamais será reeleito. Eu votei nele, as propostas eram paralelas com a do presidente Jair Bolsonaro, jamais essa reação reacionária que está tendo agora”.

O conteúdo passou a ser divulgado nas redes sociais na última segunda-feira. Na imagem aparecem Contarato e o filho de 7 anos em uma praia de Vila Velha, na Grande Vitória.

"Aquela postagem foi sobre ele, única e exclusivamente como político, não tem nada a ver com a pessoa dele. Não tinha nada a ver com a criança, nada de cunho homofóbico, mas recebeu uma proporção tão enorme que até ameaça estou recebendo. Inclusive, na praia, eu não fui até ele justamente em respeito ao filho dele", declarou o autor da postagem ao jornal capixaba.

Giovani disse que foi “infeliz” ao citar o filho do senador e afirmou que pediria desculpas pessoalmente à Contarato por ter chamado de “marketing” o momento do senador com o filho.

Em nota à imprensa, o senador disse que a publicação era preconceituosa. "Uma postagem preconceituosa que me agredia e destilava inadmissível ódio contra meu pequeno Gabriel. Nada foi tão doloroso, porém, quanto ver seu ultraje gratuito contra o Gabriel, uma criança inocente de sete anos, que teve sua imagem exposta nas redes e foi menosprezado apenas por ser meu filho e, sobretudo, por ser fruto de uma adoção", dizia a nota.

"Não tolerarei qualquer ato de agressão aos meus filhos e à minha família. Não me intimidarão com esses ataques desprezíveis. Registrei um boletim de ocorrência na Polícia Federal, hoje, e providenciarei a responsabilização do autor desta agressão", concluiu.

A PF do Espírito santo (ES) afirmou que o pedido de apuração do caso feito pelo senador e o material apresentado foram “encaminhados ao corregedor que dará o devido encaminhamento legal”. A polícia também disse que o Facebook foi oficiado para preservar as provas. Além disso, a PF declarou que ouvirá testemunhas e, por fim, o suspeito do caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos