Eu avisei que não ia passar boiada, diz delegado da PF que denunciou Salles

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO*BRASILIA, DF,  BRASIL,  22-04-2021- Ricardo Salles. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO*BRASILIA, DF, BRASIL, 22-04-2021- Ricardo Salles. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Alexandre Saraiva, delegado da Polícia Federal que denunciou Ricardo Salles, comemorou a saída do ministro do Meio Ambiente do governo Jair Bolsonaro.

"Eu avisei que não ia passar boiada", disse Saraiva nas redes sociais. Ele também escreveu "e eu continuo delegado de Polícia Federal."

A primeira frase faz referência a entrevista concedida ao jornal Folha de S.Paulo em abril na qual Saraiva disse que na PF não passaria boiada —expressão utilizada por Salles em reunião ministerial em 2020.

O ministro pediu demissão nesta quarta-feira (23). Salles é alvo de inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) por operação da Polícia Federal que mira suposto favorecimento a empresários do setor de madeiras por meio da modificação de regras com o objetivo de regularizar cargas apreendidas no exterior.

Saraiva denunciou o ministro ao STF em 14 de abril e, em meio ao atrito, foi tirado da chefia do Amazonas pelo novo diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino.

Ele denunciou Salles por "causar obstáculos à investigação de crimes ambientais e de buscar patrocínio de interesses privados e ilegítimos perante a Administração Pública".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos