‘Eu não vou fazer multa nenhuma’, diz policial rodoviário sobre veículos em manifestação bloqueando rodovia de SC; veja vídeo

Em vídeos que circulam nas redes sociais, agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) aparecem dando apoio a manifestantes bolsonaristas que bloquearam estradas nesta segunda-feira, após a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na eleição de domingo. Em uma das gravações, um agente diz que os policiais não foram instruídos a desobstruir as vias e que “nenhum veículo será alvo de notificação”. Ao menos 16 estados registraram hoje interdições em rodovias.

— Compromisso que eu faço com vocês aqui. Nenhum veículo que está na manifestação aqui será alvo de qualquer notificação. Eu não vou fazer multa nenhuma. Eu, enquanto servidor público de serviço hoje. (...) O que vai estar de serviço amanhã, não sei — diz um policial, que se apresenta como Ricardo Torres, em vídeo publicado por um apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL) no Instagram.

Rodovias: Deputadas bolsonaristas já investigadas por atos antidemocráticos incentivam bloqueios

Veja também: PM isola Esplanada dos Ministérios com receio de protesto de caminhoneiros

Segundo a publicação, a fala do agente foi dita durante o protesto na BR-470, em Santa Catarina, por volta de 12h. Torres afirma ainda que em nenhum momento os policiais irão “atritar” com os caminhoneiros e defende que a manifestação é “legítima”.

— Até agora, até esse momento, não chegou nenhuma ordem, quer da chefia, quer do Judiciário, para desobstruir. O que a gente pede é bom senso, serenidade. Porque a manifestação é legítima. Talvez eu não concorde com o local, mas é legítima, ela expressa a vontade de metade da população brasileira (...) Qualquer manifestação que vier da minha chefia, ou determinação judicial, ou determinação que seja, eu vou chegar aqui com vocês para conversar e dizer: 'Chegou essa ordem, o que que eu faço da vida? O que vocês me orientam para a gente interagir e encontrar a melhor solução?' — diz o agente no vídeo.

De acordo com a PRF, foram identificados ao menos 221 pontos de bloqueio em rodovias de 16 estados brasileiros. Nesta segunda-feira à noite, o ministro da Justiça, Anderson Torres, disse ter determinado "todas as ações possíveis para normalização do fluxo nas rodovias", e que haverá reforço de efetivo nas equipes da Polícia Federal (PF) e da PRF.

Em 24 horas: PGR pede que diretor-geral da PRF preste esclarecimentos sobre bloqueios nas estradas

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, também determinou a "imediata desobstrução de estradas" interditadas de forma ilegal por apoiadores do presidente, e citou possibilidade de prisão do diretor da PRF em caso de descumprimento.

Mais cedo, decisões da Justiça Federal do Mato Grosso do Sul e do Rio de Janeiro já haviam determinado a desobstrução das vias impondo multas em caso de descumprimento. Durante o dia, associações como a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e a Confederação Nacional do Transporte (CNT) se manifestaram contra os bloqueios.

Além da publicação de Santa Catarina, outros vídeos que circulam nas redes e no WhatsApp mostram momentos de interação entre agentes da PRF e manifestantes pró-Bolsonaro. As postagens têm recebido críticas de internautas que denunciam um suposto apoio dos policiais aos protestos que questionam os resultados das eleições.

Em um deles, um policial é recebido por um grupo de pessoas reunidas junto a caminhões em meio a uma rodovia, mas ao falar com os manifestantes garante não estar ali para impedir o protesto. “A única ordem que nós temos é para estar aqui com vocês, só isso”, diz o homem no vídeo, que cumprimenta um integrante do grupo e rapidamente é respondido com aplausos e gritos de comemoração.

Nikolas Ferreira, Zambelli e Ricardo Salles: Veja reação de tropa de choque bolsonarista após vitória de Lula

Em outra postagem, o tom de apoio é mais explícito, e o policial menciona diretamente o processo eleitoral. Em meio a um grupo de pessoas já à noite, o agente pede o microfone e afirma que “estamos todos no mesmo barco” e que é necessário esperar uma atitude de Bolsonaro em relação às eleições.

— Nós estamos tudo do mesmo lado, nós estamos junto com vocês. Nós temos que resistir 72 horas para o presidente poder tomar uma atitude, por isso que ele não se manifestou até agora — diz o policial.

Ele pede ainda que os manifestantes “evitem botar fogo” e defende que “não podemos se comparar aos bandidos”. “A paralisação de forma pacífica, de forma sábia, vocês vão ter o apoio das forças militares dessa maneira”, termina o agente.

Procurada, a PRF não respondeu aos questionamentos do GLOBO sobre os vídeos.