EUA acusa China de tentar roubar pesquisas sobre vacina de COVID-19

O presidente dos EUA, Donald Trump, em 9 de maio de 2020 na Casa Branca.

Autoridades americanas emitiram um aviso oficial nesta quarta-feira para alertar os cientistas dos Estados Unidos sobre os esforços da China para tentar roubar pesquisas e propriedades intelectuais relacionadas a tratamentos e vacinas para a COVID-19.

"As tentativas da China nesses setores representam uma ameaça significativa à resposta de nossas nações ao COVID-19", disseram o FBI e a agência de segurança cibernética dos Estados Unidos em comunicado.

"Os setores de saúde, farmacêutico e de pesquisa que trabalham com respostas ao COVID-19 devem estar cientes de que são os primeiros alvos dessa atividade e tomar as medidas necessárias para proteger seus sistemas", advertiram.

O FBI diz que está investigando "atores cibernéticos e informantes não tradicionais afiliados à República Popular da China" suspeitos de quererem roubar itens protegidos por propriedade intelectual.

Seriam hackers, mas também pesquisadores e estudantes que, segundo o governo Donald Trump, foram ativados para roubar informações de dentro dos institutos universitários ou laboratórios públicos em que trabalham.

Essa acusação, rejeitada cedo pelas autoridades chinesas, pode complicar ainda mais as relações entre Washington e Pequim, já muito tensas após o surgimento do novo coronavírus na cidade chinesa de Wuhan no final de 2019.

Washington acusa Pequim de ter demorado a enviar um alerta sobre a epidemia e ocultado seu escopo. E, portanto, de ser "responsável" por sua disseminação pelo mundo, pela morte de centenas de milhares de pessoas e pela atual crise econômica.