EUA acusa Novartis de manipular dados em processo para aprovar terapia

(Arquivo) A agência americana que regula medicamentos acusou o gigante farmacêutico suíço  Novartis de manipular dados durante o processo de aprovação de um tratamento genético que tem um custo superior a 2 milhões de dólares por paciente.

A agência americana que regula medicamentos acusou, nesta terça-feira, o gigante farmacêutico suíço Novartis de manipular dados durante o processo de aprovação de um tratamento genético que tem um custo superior a 2 milhões de dólares por paciente.

Em seu comunicado, a Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) destaca que mantém a confiança no produto, chamado Zolgensma, que permanecerá no mercado.

O Zolgensma é um medicamento utilizado apenas uma vez para a atrofia muscular espinhal (SMA), doença que afeta 1 a cada 10 mil recém-nascidos e tem como resultado a morte ou a necessidade de ventilação permanente a partir dos dois anos para 90% dos casos.

Mas a FDA analisa levar o caso à Justiça, alegando que a Novartis sabia da manipulação de alguns dados e omitiu a informação até obter o sinal verde para a comercialização.

O Zolgensma foi autorizado para venda nos Estados Unidos no final de maio.

"A agência utilizará sua autoridade ao máximo para adotar as ações apropriadas, incluindo ações civis e criminais", informou a FDA.

O laboratório prometeu nesta terça-feira "cooperação" e "transparência" com as autoridades, e a "tomar as medidas apropriadas para prevenir futuros incidentes nos estudos em desenvolvimento".