EUA acusam Maduro de narcotráfico e oferecem recompensa de R$ 75 milhões

Agência Brasil
Venezuela's President Nicolas Maduro speaks during a news conference at Miraflores Palace in Caracas, Venezuela, March 12, 2020. REUTERS/Manaure Quintero

O governo dos EUA apresentou nesta quinta-feira acusações criminais contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

Maduro foi acusado de narcoterrorismo e conspiração para importar cocaína aos EUA. 

Leia também

O Departamento de Estado ofereceu recompensa de até 15 milhões de dólares (R$ 75 milhões) por informações ligadas ao venezuelano.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

As investigações foram conduzidas nos Estados de Nova York, Washington e Flórida. Outras autoridades da Venezuelano e membros da das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia também foram acusadas.

De acordo com a acusação, Maduro liderou o chamado Cartel de Los Sols, que teria usado a cocaína como “arma contra os EUA”.

Os documentos apresentados apontam que Maduro negociou remessas de toneladas da droga produzida pelas Farc, forneceu armas militares ao grupo e coordenou com Honduras e outros países “facilitar o tráfico de drogas em larga escala”.

Em publicação no Twitter, Nicolás condenou a medida e acusou EUA e Colômbia de dar ordens para “encher a Venezuela de violência”.

O regime vem enfrentando uma forte onda de sanções patrocinadas pelos EUA.