EUA acusam Rússia de não respeitar direitos de opositor

Washington acusou Moscou nesta sexta-feira de não respeitar os direitos do opositor preso Alexei Navalny, principal crítico de Vladimir Putin, em particular de não deixá-lo "se comunicar livremente com seu advogado".

"Os Estados Unidos estão profundamente preocupados com a crescente e arbitrária interferência do governo russo nos direitos de Alexei Navalny", manifestou o porta-voz do Departamento de Estado americano, Ned Price. "As autoridades carcerárias dificultaram a preparação de sua defesa e sua capacidade de se comunicar livremente com seu advogado", monitorando, por exemplo, suas reuniões, ou atrasando as trocas de documentos entre ambos, detalhou.

"Essa interferência, juntamente com o seu desvio para um confinamento solitário por supostas infrações menores, é mais uma evidência de assédio politicamente motivado", ressaltou Price, que voltou a pedir a libertação imediata de Navalny, 46.

O opositor afirmou ontem que foi impedido de ter conversas confidenciais com seus advogados. Ele foi condenado em março a nove anos de prisão em "regime estrito" por desvio de fundos.

led/dax/dl/gm/lb