EUA alerta para tentativas de 'escalada de tensões' em região da Moldávia

·1 min de leitura
Imagem fornecida pelo Ministério do Interior de Transnístria mostra torre de rádio danificada pelas explosões (AFP/Handout) (Handout)

Os Estados Unidos alertaram nesta terça-feira (27) para tentativas de "escalada de tensões" após uma série de explosões na região separatista moldava pró-russa da Transnístria, fronteiriça com a Ucrânia.

"Continuamos preocupados com qualquer tentativa potencial de escalada de tensões", disse a jornalistas o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, sem atribuir a autoria das explosões a Moscou.

"Não sabemos todos os detalhes", acrescentou Price.

"Reiteramos o apelo à calma do governo moldavo em resposta a esses incidentes e apoiamos plenamente a integridade territorial e a soberania da Moldávia", acrescentou.

Transnístria se separou da Moldávia após uma breve guerra civil em 1992, depois do desmembramento da União Soviética, da qual tanto Moldávia como Ucrânia faziam parte.

A região separatista, de aproximadamente 500.000 habitantes, tem sua própria moeda, mas é extremamente dependente da Rússia, que fornece gratuitamente gás e tem 1.500 militares mobilizados neste território.

As explosões recentes tiveram como alvo o ministério de Segurança do Estado, uma torre de rádio e uma unidade militar e ocorreram dias depois que um comandante russo afirmou que os habitantes da Moldávia que falam russo estavam sendo oprimidos.

Essas declarações geraram preocupação na Moldávia, já que Moscou disse o mesmo depois de invadir a Ucrânia em 24 de fevereiro.

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, viajou para Moldávia pouco depois da invasão da Ucrânia como parte de uma demonstração de apoio, tanto à soberania do país como aos seus esforços para acolher os refugiados.

sct/mlm/erl/rsr/gm/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos