EUA alertam para nova 'ameaça crível' em aeroporto do Afeganistão

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Pela terceira vez nesta semana, a embaixada dos EUA em Cabul emitiu um alerta na noite deste sábado (28) para que cidadãos americanos deixem imediatamente a área do Internacional Hamid Karzai e evitem ir até o local devido a uma "ameaça específica e crível".

Devem ser evitados todos os portões de acesso, enquanto o foco da preocupação no momento é o portão sul, a área do novo Ministério do Interior e a entrada próxima ao posto de gasolina Panjshir.

O primeiro alerta do tipo foi emitido na quarta (25) à noite, véspera do ataque que deixou quase mais de 180 mortos, entre os quais 28 membros do talibã e 13 militares americanos, além de mais de 200 feridos. O atentado foi reivindicado pela filial afegã do Estado Islâmico, conhecida como EI-Khorasan, inimiga comum dos EUA e do Talibã. Já na noite desta sexta (26) foi emitido o segundo comunicado.

Mais cedo neste sábado, o presidente dos EUA, Joe Biden, havia alertado sobre novas ameaças. "Nossos comandantes me informaram que é muito provável [que haja] um ataque nas próximas 24 horas a 36 horas. Eu determinei que tomem toda medida possível para priorizar a proteção das forças."

Washington afirma ter matado dois membros do EI-K que planejaram o atentado, deixando um terceiro ferido. A operação com drones ocorreu na madrugada deste sábado, no horário local, na província de Nangahar, perto da fronteira com o Paquistão, e o presidente americano prometeu novas ações.

"Esse ataque não foi o último. Vamos continuar a caçar qualquer pessoa envolvida nesse odioso atentado e fazê-los pagar", declarou o democrata. Neste sábado, Zabihullah Mujahid, porta-voz do Talibã, condenou o operação americana, no que chamou de "claro ataque em território afegão".

Após o ataque ao aeroporto de Cabul, multidões que eram vistas tentando acessar o terminal de passageiros dissiparam. Neste sábado, as estradas que levam ao aeroporto estavam bloqueadas, quase todos os portões ficaram fechados e poucas pessoas conseguiam acesso. Os pequenos grupos que ainda podem embarcar estão sendo submetidos a um rigoroso processo de checagem, pelo risco de novos ataques.

Num início de aliança que parecia improvável até então, o governo americano diz esperar a colaboração do Talibã para a retirada de cidadãos com segurança. Segundo Biden, até este sábado 117 mil pessoas foram evacuadas do Afeganistão pelos EUA.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos