EUA ameaçam impor sanções para interromper projeto de gasoduto russo-alemão

Alexei Miller, presidente do grupo russo Gazprom, fala durante a cerimônia de assinatura do acordo para a construção do gasoduto Nord Stream 2, em 24 de abril de 2017 em Paris

Os Estados Unidos aumentaram a pressão sobre o projeto do gasoduto russo-alemão Nord Stream 2 e alertaram as empresas alemãs contra o risco de sanções.

"A carta lembra todas as empresas envolvidas no setor de gasodutos de exportação de energia russa de que elas estão expostas às sanções dos EUA", disse o porta-voz da embaixada dos EUA em Berlim neste domingo (13) à AFP.

Ele confirmou, com isso, a informação publicada hoje pelo jornal "Bild" sobre o envio de uma carta às empresas alemãs afetadas.

O porta-voz advertiu que a medida está prevista pela lei sobre "sanções para lutar contra os adversários da América" (CAATSA), adotada em 2017 contra Irã, Coreia do Norte e Rússia.

O gasoduto Nord Stream 2 permitirá que o fornecimento de gás para a Alemanha e para o restante da Europa seja feito diretamente através do Mar Báltico e sem trânsito pela Ucrânia, o principal ponto de passagem até agora.

O projeto associa a gigante russa Gazprom a várias empresas europeias, uma ideia que não agrada aos Estados Unidos.