EUA anuncia criação de unidade conjunta para combater caça furtiva na África do Sul

A África do Sul e os Estados Unidos se juntaram e criaram uma unidade "para rastrear o dinheiro" vindo da caça furtiva, disse a secretária americana do Tesouro, Janet Yellen.

Yellen fez o anúncio durante uma visita a este país rico em fauna silvestre e afetado pela caça ilegal, especialmente de rinocerontes.

"Para proteger a fauna silvestre da caça e romper o tráfico ilegal, devemos rastrear o dinheiro assim como é feito com outros crimes graves", disse Yellen ao visitar uma reserva em Pretória.

"Isso inclui identificar e confiscar os recursos gerados pelo tráfico ilegal de animais silvestres", acrescentou a secretária.

Ela também confirma que a unidade especializada deve ajudar a melhorar o compartilhamento de informação entre as unidades de inteligência, com o objetivo de ajudar as agências nos dois países.

Cerca de 80% dos rinocerontes do mundo vivem na África do Sul. Entretanto, o país é centro da caça furtiva destes animais devido à grande demanda asiática, onde seus chifres são utilizados para a medicina tradicional.

O famoso Kruger National Park, atração turística perto de Moçambique, viu a população de rinocerontes diminuir drasticamente nos últimos quinze anos.

Abalones, pangolins e elefantes também são outros animais vítimas da caça furtiva.

ub/lc/eg/mb/ms/aa