EUA anunciam nova fase de vacinação contra Covid com doses atualizadas e gratuitas

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Coordenadores do combate à pandemia nos Estados Unidos anunciaram nesta terça-feira (6) o plano de vacinação contra Covid-19 com doses atualizadas para a variante ômicron e garantiram que a vacinação permanecerá gratuita.

No último dia 31, a FDA (agência americana reguladora de medicamentos e alimentos) autorizou a aplicação do novo imunizante da Moderna em indivíduos acima de 18 anos e a nova vacina da Pfizer em pessoas acima de 12 anos.

As vacinas das duas companhias utilizam a tecnologia de RNA mensageiro (mRNA), que permite mimetizar a proteína spike, usada pelo vírus para se ligar às nossas células e invadi-las, ativando o sistema de defesa do organismo.

A diferença dos novos imunizantes é que eles contêm duas sequências de mRNA: uma com codificação para a proteína spike original e outra para a proteína spike das linhagens BA.4 e BA.5 da ômicron.

O anúncio do plano de vacinação ocorreu durante coletiva com Ashish Jha, coordenador da operação contra Covid da Casa Branca; Xavier Becerra, secretário de Saúde e Serviços Humanos; Rochelle Walensky, diretora do CDC (Centro de Controle de Doenças); e Anthony Fauci, epidemiologista-chefe da Casa Branca.

No evento, Jha destacou que a medida torna os EUA o primeiro país a oferecer vacinas atualizadas e disse que vislumbra um novo patamar, no qual a vacinação anual contra Covid passa a fazer parte da rotina.

"Na ausência de uma variante dramaticamente diferente, estamos caminhando para um padrão de vacinação similar à vacinação anual para gripe, com doses atualizadas para as versões circulantes no momento", complementou Fauci.

Eles estimam inclusive que muitos americanos receberão a nova dose juntamente com a vacina contra gripe, já que as campanhas coincidirão em algumas semanas. "Acredito que foi por isso que Deus nos deu dois braços: um para a vacina da gripe e outro para a da Covid", brincou Jha.

Como os Estados Unidos enfrentam maior resistência de parte da população à imunização, os coordenadores ressaltaram aspectos relacionados à segurança.

Fauci, por exemplo, lembrou que foram aplicadas mais de 600 milhões de vacinas monovalentes com tecnologia de RNA mensageiro (mRNA) no país e bilhões ao redor do mundo. Ele acrescentou que, antes da aprovação das vacinas bivalentes pela FDA e pelo CDC, foram realizados ensaios clínicos com mais de 1.700 pessoas e enfatizou a capacidade dos imunizantes de evitar hospitalizações e mortes.

O epidemiologista afirmou que as novas doses devem levar à maior produção de anticorpos contra a ômicron e contra as variantes anteriores, aumentando a proteção contra o vírus, embora seja difícil estimar neste momento quão melhor será esse efeito. "Minha mensagem é simples: tome a dose atualizada assim que você puder para se proteger, proteger sua família e sua comunidade", disse.

Os coordenadores mencionaram ainda ações com porta-vozes, líderes comunitários e clínicas móveis para aumentar a taxa de vacinação e ressaltaram os esforços para viabilizar as doses o quanto antes. Becerra disse que, até o fim da semana, a vacina estará disponível em um raio de 8 km ou menos para 90% dos americanos e que os cidadãos já podem consultar a página do governo para localizar as farmácias e estabelecimentos comerciais mais próximos.