EUA anunciam nova moratória de 60 dias para ações de despejo durante pandemia

·1 minuto de leitura
Edifício do CDC em Atlanta

Por David Shepardson e Trevor Hunnicutt

WASHINGTON (Reuters) - O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) anunciou, nesta terça-feira, uma nova moratória de 60 dias para ordens de despejo em residências em áreas com altos níveis de infecções pela Covid-19, após rejeitar uma iniciativa anterior da Casa Branca.

O decreto se aplica a cerca de 80% dos condados norte-americanos que tenham taxas altas ou substanciais de contaminação comunitária pela Covid-19, e cobre aproximadamente 90% da população norte-americana.

"O surgimento da variante Delta levou a uma aceleração rápida da transmissão comunitária nos Estados Unidos, colocando mais americanos em um risco maior, especialmente se não forem vacinados", disse a diretora do CDC, Rochelle Walensky, em nota.

"Essa moratória é a coisa certa a ser feita para manter as pessoas em suas casas e fora de contextos congregados, onde a Covid-19 se espalha", disse.

O novo decreto do CDC irá proteger milhões de locatários de despejos, mas será mais limitada que a moratória nacional que expirou na meia-noite do último sábado.

No domingo, o CDC rejeitou o pedido do presidente Joe Biden por uma nova moratória pandêmica, citando uma falta de autoridade legal que venha de uma decisão recente da Suprema Corte.

Biden havia pedido uma extensão para que mais de 40 bilhões de dólares em verbas aprovadas pelo Congresso e ainda não utilizadas fossem distribuídos para inquilinos e locadores, para manter as pessoas em suas casas.

(Reportagem de David Shepardson, Trevor Hunnicutt, David Morgan e Doina Chiacu)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos