EUA avaliam sanções contra chinesa Hikvision, diz Financial Times

BENGALURU, Índia (Reuters) - Os Estados Unidos estão se preparando novas sanções contra a fabricante chinesa de câmeras de vigilância Hikvision, publicou o jornal Financial Times nesta quarta-feira, citando quatro fontes com conhecimento do assunto.

As potenciais sanções serão administradas pelo Departamento do Tesouro dos EUA, que publica a lista que proíbe transações de empresas ou cidadãos norte-americanos com os alvos de sanção. O Financial Times não detalhou quais sanções serão aplicadas.

A brasileira Multilaser anunciou em abril acordo para assumir a produção no Brasil de equipamentos de segurança da Hikvision, em uma estratégia para se diversificar para nichos de alto crescimento e ampliar receitas.

As sanções podem ter grandes consequências para a companhia chinesa, que já enfrenta outras restrições nos EUA por atividades consideradas como contrárias à política externa de Washington e à segurança nacional do país. A Hikvision tem sido acusada de permitir abusos aos direitos humanos ao fornecer câmeras ao governo chinês usadas na repressão dos Uigures.

Washington já começou a avisar aliados uma vez que a Hikvision tem clientes em mais de 180 países, publicou o FT.

Representantes da Casa Branca e o Departamento do Tesouro não comentaram o assunto.

A Hikvision afirmou em comunicado à Reuters que tem cumprido as leis e regramentos aplicáveis nos países onde atua.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos