EUA colocam Cuba novamente em lista de países "que não colaboram completamente" contra terrorismo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Embaixada dos EUA em Havana
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Dave Sherwood e Matt Spetalnick

HAVANA/WASHINGTON (Reuters) - O governo do presidente norte-americano, Joe Biden, colocou Cuba mais uma vez, nesta sexta-feira, na lista de países que os Estados Unidos consideram que "não colaboram completamente" na luta contra o terrorismo, inflamando ainda mais as tensões com o rival de longa data.

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, na avaliação final publicada nesta sexta-feira no Registro Federal dos EUA, nomeou Cuba entre cinco países --ao lado de Irã, Coreia do Norte, Venezuela e Síria-- que os Estados Unidos dizem que não atendem suas expectativas.

O Departamento de Estado é exigido por lei a providenciar essa lista anualmente ao Congresso dos Estados Unidos.

O ministro cubano de Relações Exteriores, Bruno Rodríguez, antecipou a medida na quinta-feira, chamando a notificação preliminar do dia 11 de maio assinada por Blinken de "mais uma mentira" vinda de Washington.

"Os Estados Unidos novamente mantêm a calúnia de dizer que Cuba não colabora o suficiente na luta contra o terrorismo", disse Rodríguez no Twitter na quinta-feira, classificando a medida como um "pretexto para continuar uma guerra econômica incessante e repudiada universalmente".

A avaliação dos Estados Unidos é quase idêntica à emitida pelo governo Biden um ano atrás, que mantinha uma determinação do governo Trump.

(Reportagem de Matt Spetalnick, em Washington, e Dave Sherwood, em Havana)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos