Defesa espera que "El Chapo" seja submetido à avaliação mental

Nova York, 17 abr (EFE).- A defesa do narcotraficante mexicano Joaquín "El Chapo" Guzmán espera que seu cliente seja submetido a uma avaliação psicológica para determinar sua condição antes do início de seu julgamento nos Estados Unidos, no próximo dia 5 de setembro.

Depois de uma audiência oral em um tribunal de Nova York, Eduardo Balarezo, advogado de Guzmán, declarou hoje aos jornalistas que é provável que "El Chapo" seja submetido nas próximas duas semanas à avaliação de uma especialista da Universidade Johns Hopkins, de Baltimore.

"Nós acreditamos que ele está mal agora e isso também pode afetar como o defendemos, se podemos defendê-lo, se ele tem competência para seguir adiante", declarou o jurista.

Segundo o defensor, a avaliação permitirá determinar a situação psicológica de "El Chapo", que está sendo acusado de 17 crimes como líder do cartel de Sinaloa, entre eles tráfico de drogas, uso ilegal de armas e lavagem de dinheiro.

O pedido da defesa foi respaldado por Emma Coronel Aispuro, esposa de "El Chapo", que garantiu aos jornalistas que sua principal preocupação é a condição de saúde de Guzmán.

"A minha preocupação é nada mais que sua saúde, porque sei que está muito mal psicologicamente, que se sente muito mal pelo que me disseram os advogados e é o que me preocupa: Como vai chegar a um julgamento bem se ele está mal de saúde?", questionou.

Durante a audiência, a defesa de "El Chapo" retirou uma solicitação para que o acusado pudesse falar das condições da reclusão, depois de que o juiz federal encarregado do caso, Brian Cogan, lembrou que este tipo de intervenção corresponde aos advogados. EFE