EUA condenam discurso de Orbán sobre migrantes

Os Estados Unidos condenaram o discurso do primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, que na Roménia afirmou que países com migrantes de fora da Europa já não são nações.

Na Casa Branca as palavras de Orbán mereceram uma reação.

"Indivíduos deste edifício comentaram. Deborah Lipstadt, a nossa enviada especial (contra o anti-semitismo, ed.) comentou sobre esta questão. Ela criticou estes comentários, disse que estava profundamente alarmada com esta retórica. Ela fez notar que uma retórica desta natureza é indesculpável 75 anos após o Holocausto", afirmou Ned Price, porta-voz do departamento de Estado.

Na quinta-feira, Viktor Orbán, esteve na capital austríaca para um encontro com o chanceler Karl Nehammer.

Os dois líderes discutiram a questão das migrações e as consequências da guerra na Ucrânia, nomeadamente no sector energético.

Na questão das migrações, o chanceler austríaco demarcou-se das posições do primeiro-ministro húngaro, reconhecendo contudo que as migrações são um desafio.

Ambos os líderes anunciaram estarem a preparar um encontro com a Sérvia a fim de discutirem formas de combater a imigração ilegal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos