EUA dá mais tempo ao Iraque para cumprir sanções energéticas contra Irã

Iraquiano verifica gerador elétrico em Bagdá, em 26 de julho de 2018

Os Estados Unidos deram 45 dias ao governo do Iraque para que interrompa a compra de energia do Irã, no âmbito das sanções americanas contra a República Islâmica - informou uma autoridade iraquiana à AFP nesta quarta-feira (12).

Depois de se retirar do tratado sobre o programa nuclear iraniano, os Estados Unidos voltaram a aplicar no final de 2018 sanções contra seu setor energético.

Desde então, Washington concedeu várias isenções ao Iraque, que depende em grande parte do gás e da eletricidade provenientes do país vizinho.

"Desta vez, a extensão da isenção é de apenas 45 dias e é acompanhada por condições estritas", explicou a autoridade iraquiana à AFP.

Os Estados Unidos e o Iraque ainda estão negociando essas condições, acrescentou.

Washington espera que uma menor dependência iraquiana da energia do Irã resulte em contratos com empresas americanas.

Atualmente, o Iraque compra 28 milhões de metros cúbicos de gás por dia e 1.400 megawatts (MW) de eletricidade de seu vizinho.

Essas compras são cruciais, porque o Iraque produz apenas cerca de 16.000 MW, longe de uma demanda estimada de 24.000 MW durante o ano, e 30.000 MW, no verão.

O Iraque também sofre com a deterioração de sua infraestrutura. Segundo o Instituto de Energia do Iraque, entre 30% e 50% da energia é perdida durante o transporte.