EUA declara 'preocupação' com violência contra líderes de Direitos Humanos na Colômbia

·1 minuto de leitura
O porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, durante coletiva de imprensa em Washington, em 9 de fevereiro de 2021

Os Estados Unidos expressaram "preocupação com a violência contínua" contra os defensores dos Direitos Humanos na Colômbia e afirmaram ter comentado sobre o tema com o governo de Bogotá, informou um porta-voz do Departamento de Estado nesta quinta-feira (11).

"Estamos preocupados com a violência contínua contra os defensores dos Direitos Humanos na Colômbia, que desempenham um papel crucial na construção de uma paz duradoura" no país, ressaltou Ned Price, porta-voz da diplomacia americana, em uma coletiva de imprensa.

A organização HRW questionou na quarta-feira a "lenta" resposta do governo de Iván Duque ao crescente número de assassinatos de ativistas.

O diretor para as Américas do HRW, José Miguel Vivanco, denunciou que apesar da Colômbia registrar o maior número desses assassinatos no continente, "a resposta do governo tem sido mais focada na preparação de discursos e anúncios do que em adotar medidas que tenham impacto nos territórios".

"Esta é uma questão que levantamos com o governo colombiano", acrescentou Price.

O relatório da HRW - baseado em dados da ONU - apontou que em 2016 foram assassinados 61 líderes sociais, em 2017 foram 84, em 2018 o número passou para 115, em 2019 para 108 e em 2020 há registros de 133 assassinatos, alguns deles ainda estão em investigação.

an/ll/bn/mvv