EUA deram mais de 70 mil 'pistas' à UE sobre financiamento do terrorismo desde 2016

Bandeiras da UE em frente à sede da Comissão Europeia, em 14 de março de 2018, em Bruxelas

As autoridades americanas enviaram mais de 70 mil "pistas de investigação" aos países da União Europeia (UE) e à Europol, por meio do programa de vigilância de financiamento do terrorismo desde 2016 - aponta um relatório publicado nesta segunda-feira (22) pela Comissão Europeia.

Algumas dessas informações foram "determinantes" nas investigações de ataques terroristas cometidos na UE, como os de Estocolmo, Barcelona e Turki (Finlândia). Todos foram cometidos em 2017.

Entre 2016 e 2018, as autoridades americanas forneceram 70.991 pistas, reunidas em 292 respostas do Tesouro americano às 402 solicitações de cooperação da UE.

Além dos requerimentos formais, os Estados Unidos enviaram mais de 11.000 indícios espontâneos, acrescenta o informe.

O Executivo comunitário se declarou "satisfeito" com os resultados do programa, que forneceu dados úteis na investigação sobre Mohamed Belkaid, abatido durante uma operação policial em 15 de março de 2016 em Bruxelas.

A intervenção que permitiu chegar a Belkaid na capital belga aconteceu apenas três dias antes da detenção de Salah Abdeslam, único membro com vida dos comandos que atacaram Paris em novembro de 2015.

"O TFTP (acrônimo em inglês do Programa contra Financiamento do Terrorismo) é um instrumento-chave para entregar informações a tempo, precisas e confiáveis, e para identificar e encurralar os terroristas e suas redes de apoio no mundo", destacou a Comissão.