EUA desistem de indenizar famílias de migrantes separadas na fronteira com o México

·1 min de leitura

O governo dos Estados Unidos decidiu abandonar as negociações para indenizar as famílias de migrantes separadas na fronteira com o México, vítimas da política de "tolerância zero" do ex-presidente Donald Trump. A decisão foi divulgada nesta quinta-feira (16) pelos advogados das famílias e o Executivo americano.

O governo americano reconhece o impacto da medida tomada pelo ex-presidente Donald Trump. "Embora as partes não tenham conseguido chegar a um acordo neste momento, continuamos comprometidos em fazer justiça às vítimas desta política abominável", declarou o Departamento americano de Justiça, em um comunicado.

As famílias que abandonaram as ações judiciais não descartam a possibilidade de retomá-las no futuro. Elas pedem que sejam indenizadas por "danos psicológicos", e anunciaram que darão continuidade ao processo. "Voltaremos ao tribunal", disse Lee Gelernt, vice-diretor do Projeto de Direitos dos Imigrantes da União de Liberdades Civis Americanas (ACLU), que abriu um dos processos.

"O trauma infligido a essas crianças e pais pelas mãos de nosso próprio governo é inimaginável.Temos que fazer o que é certo", continuou, lamentando que "o governo Biden permitiu que a política interferisse na ajuda às crianças abusadas deliberadamente" pelas autoridades.

Depois de assumir a presidência em janeiro, prometendo uma abordagem mais "humana" à imigração, Biden colocou um fim à política de "tolerância zero" de Trump na fronteira com o México.


Leia mais

Leia também:
Covid: fronteiras dos EUA com México e Canadá seguirão parcialmente fechadas até 21 de agosto
Últimos migrantes haitianos deixam fronteira do México com Estados Unidos e vão para abrigo
Acidente com caminhão que transportava migrantes deixa ao menos 53 mortos no México

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos