EUA dirão a Israel que buscarão "outras rotas" se diplomacia com Irã falhar

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Bandeira do Irã em Viena
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Matt Spetalnick e Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) - Autoridades de alto escalão dos Estados Unidos dirão às suas contrapartes de Israel nesta terça-feira que o governo do presidente Joe Biden continua comprometido com a diplomacia com o Irã, mas que, se necessário, estaria preparado para buscar "outras rotas" para fazer com que Teerã não obtenha uma arma nuclear, disse um funcionário graduado dos EUA.

Uma visita do conselheiro de Segurança Nacional israelense, Eyal Hulata, a Washington permitirá que os dois aliados compartilhem inteligência e desenvolvam uma "avaliação-padrão" do quanto o programa nuclear iraniano avança, disse o funcionário.

Conforme um acordo de 2015, o Irã limitou seu programa de enriquecimento de urânio, uma rota possível para armas nucleares, em troca da suspensão de sanções econômicas. O então presidente dos EUA, Donald Trump rompeu com o acordo em 2018, e o governo de Israel se opõe aos esforços de Washington para ressuscitá-lo.

Em termos amplos, especialistas dos EUA acreditam que o tempo que o Irã levaria para alcançar o "limiar" nuclear --urânio enriquecido em grau suficiente para construir uma bomba atômica-- "foi de cerca de 12 meses para um período de cerca de alguns meses" desde que Trump retirou o país do acordo, disse o funcionário, pedindo anonimato.

"Obviamente, isto é bastante alarmante", disse ele aos repórteres antes das conversas de Hulata com o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan.

O Irã nega continuamente que está desenvolvendo armas nucleares.

Ecoando os comentários de Biden em uma reunião na Casa Branca com o primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, em agosto, o funcionário disse: "Nós, é claro, continuamos comprometidos com um caminho diplomático".

"Mas, obviamente, se isto não funcionar há outras rotas para se buscar, e estamos plenamente comprometidos em fazer com que o Irã nunca desenvolva uma arma nuclear."

Indagado sobre quais ações estão sendo cogitadas e se isto inclui opções militares, o funcionário respondeu que "estaremos preparados para adotar medidas que sejam necessárias", mas não entrou em detalhes.

Ele disse que o Irã está "enviando sinais a uma série de partes de que estão se preparando para voltar a Viena", onde EUA e Irã realizaram conversas indiretas no início deste ano que entraram em um impasse desde então.

No sábado, o ministro das Relações Exteriores iraniano assinalou a permanência de obstáculos ao dizer que primeiro os EUA precisam liberar 10 bilhões de ativos congelados de seu país como gesto de boa vontade, algo que o governo Biden não se mostra disposto a fazer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos