EUA disparam mísseis contra base aérea de Assad na Síria; Rússia denuncia "agressão"

Por Steve Holland e Andrew Osborn e Tom Perry

Por Steve Holland e Andrew Osborn e Tom Perry

PALM BEACH, EUA/MOSCOU/BEIRUTE (Reuters) - Os Estados Unidos dispararam mísseis de cruzeiro nesta sexta-feira contra uma base aérea síria de onde autoridades norte-americanas afirmam que foi lançado um ataque com armas químicas nesta semana, no primeiro ataque direto dos EUA contra o governo do presidente sírio, Bashar al-Assad, em seis anos de guerra civil.

O presidente dos EUA, Donald Trump, ordenou que as Forças Armadas dessem o passo que seu antecessor Barack Obama nunca deu: atacar diretamente as forças de Assad com ataques aéreos em resposta ao uso de armas químicas, que matou ao menos 70 pessoas, muitas delas crianças.

O Exército sírio disse que seis pessoas morraram na base aérea perto da cidade de Homs. Um porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, descreveu o ataque como uma "agressão contra uma nação soberana".