EUA e Alemanha planejam novas restrições enquanto Ômicron preocupa investidores

·1 min de leitura
Foto de ilustração sobre a variante Ômicron do coronavírus

Por Joseph Nasr e Jeff Mason

BERLIM/WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos e a Alemanha se juntaram a países ao redor do mundo que planejam adotar restrições mais rígidas contra a Covid-19 nesta quinta-feira, conforme a nova variante Ômicron do coronavírus sacode os mercados, temerosos de que a cepa possa ameaçar a tentativa de recuperação econômica da pandemia.

Ainda não se sabe muito sobre a Ômicron, que foi detectada pela primeira vez na África do Sul no dia 8 de novembro e já se disseminou em ao menos duas dúzias de países no momento em que partes da Europa estão sofrendo com uma disparada de infecções da mais conhecida variante Delta à medida que o inverno se instaura.

A Ômicron também pode se tornar a variante predominante da Covid-19 na França até o final de janeiro, disse o principal conselheiro científico do país nesta quinta-feira depois que França e Estados Unidos relataram seus primeiros casos e países de todo o mundo endureceram restrições.

(Das redações da Reuters)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5047 2838))

REUTERS PVB ES

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos