EUA elaboram sanções direcionadas a oficiais da Belarus após incidente com avião

·1 minuto de leitura

WASHINGTON (Reuters) - O governo dos Estados Unidos disse na sexta-feira que está elaborando uma lista de sanções direcionadas contra membros importantes do governo da Belarus após o pouso forçado de um jato de passageiros na ex-república soviética e a prisão de um jornalista a bordo.

A porta-voz da Casa Branca Jen Psaki disse que os Estados Unidos também suspenderam um acordo de 2019 entre Washington e Minsk que permitia que companhias aéreas de cada país usassem o espaço aéreo do outro, e tomaram outras medidas contra o governo do presidente Alexander Lukashenko.

Em um comunicado, ela pediu a Lukashenko que permitisse uma investigação internacional confiável sobre os eventos de 23 de maio, quando o jato de passageiros da Ryanair voando da Grécia para a Lituânia foi forçado a pousar em Minsk.

Autoridades da Belarus escalaram um caça e sinalizaram o que acabou sendo um falso alerta de bomba para forçar a aterrissagem do avião. Em seguida, detiveram um jornalista da oposição que estava a bordo, atraindo condenação da Europa e dos Estados Unidos.

Psaki disse que os Estados Unidos, com a União Europeia e outros aliados, estão desenvolvendo uma lista de sanções direcionadas contra membros-chave do governo de Lukashenko "associadas a abusos contínuos dos direitos humanos e corrupção, a falsificação das eleições de 2020 e os eventos de 23 de maio".

(Reportagem de Jason Lange)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos