EUA enviam vacina da Moderna contra coronavírus a unidades de saúde

Carl O'Donnell
·2 minuto de leitura

Por Carl O'Donnell

(Reuters) - Remessas da vacina da Moderna contra a Covid-19 começaram a deixar os locais de armazenamento, neste domingo, em direção a instalações de saúde ao redor dos Estados Unidos, em um esforço para distribuir a segunda vacina aprovada no país contra o coronavírus.

A distribuição da vacina da Moderna para mais de 3.700 locais de saúde dos Estados Unidos ampliará a campanha de imunização que começou semana passada com a vacina da Pfizer e da sua parceira alemã BioNTech.

O líder do programa de vacina contra Covid-19 dos EUA, Moncef Slaoui, afirmou que o mais provável é que a primeira dose da vacina da Moderna, que foi aprovada pela Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA) na sexta-feira, seja aplicada na manhã de segunda-feira.

“Estamos ansioso pela vacina. Será um pouco mais fácil distribui-la porque não exige temperaturas tão baixas quanto a da Pfizer (para armazená-la)”, disse Slaoui à emissora CNN.

O governo norte-americano planeja entregar 5,9 milhões de doses da Moderna e 2 milhões da Pfizer esta semana.

Mas o ambicioso objetivo de dar a primeira das duas doses do regime da vacina para 20 milhões de norte-americanos antes do fim do ano pode se estender à primeira semana de janeiro, disse o general do Exército Gustave Perna, que coordena a operação de distribuição de doses, no sábado.

O começo da entrega da vacina da Moderna ampliará de maneira significativa a disponibilidade da vacina contra Covid-19 no momento em que as mortes nos EUA causadas pela doença respiratória chegaram a mais de 316.000 nos 11 meses desde o primeiro caso documentado no país.

Alguns Estados estão escolhendo a vacina da Moderna para áreas rurais porque elas podem ser armazenadas por 30 dias em refrigeradores padrões. O imunizante da Pfizer precisa ser transportado e armazenado a -70 graus Celsius e dura apenas cinco dias em refrigeradores com temperaturas padrões.

(Reportagem adicional de Idrees Ali, em Washington)