EUA enviarão reforços para proteger retirada de tropas do Afeganistão

·1 minuto de leitura
(2009) Tropas americanas na província afegã de Helmand

Os Estados Unidos enviarão reforços temporários ao Afeganistão para proteger a retirada das forças da coalizão internacional, informou nesta quinta-feira o comandante das forças americanas no Oriente Médio, general Kenneth McKenzie, ante uma comissão do Senado americano.

Cerca de 2,5 mil soldados americanos, além de mais de 16 mil contratistas civis e suas equipes, deixarão o Afeganistão. A eles se somam cerca de 7 mil soldados da Otan, que dependem dos militares americanos para o transporte de tropas e equipamentos. Essa grande e delicada operação de logística requer ao menos três meses para que os militares a concluam de forma ordenada e segura.

O general McKenzie questionou a capacidade do Exército afegão de resistir ao talibã, apesar dos bilhões investidos pelos Estados Unidos na última década para treiná-lo e equipá-lo. "A inteligência e o apoio de fogo é o que dá a eles uma vantagem sobre o talibã, e tudo isso acabará", indicou o general, ao expressar preocupação com a "capacidade da Força Aérea Afegã de voar sem apoio".

McKenzie reconheceu que o talibã é mais numeroso atualmente do que em 2011, e estimou suas fileiras em 50 mil combatentes. Também afirmou que os rebeldes controlam hoje uma parte maior do território afegão do que há 10 anos.

sl/seb/yo/lda/lb