EUA fará "o possível" para que Turquia continue na Otan, diz assessor de Trump

Presidente Donald Trump, em Monroe, Louisianna, em 6 de novembro de 2019

Os Estados Unidos farão "todo o possível" para que a Turquia permaneça na Otan, assegurou neste domingo o assessor presidencial de segurança nacional dias antes de o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan visitar a Casa Branca.

O encontro entre Erdogan e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, previsto para a quarta-feira, chega em um momento de deterioração das relações entre os dois aliados, agravado pelos ataques recentes de Ancara sobre os curdos na Síria, aliados dos Estados Unidos.

Robert O'Brien, assessor de segurança nacional de Trump, assegurou em uma entrevista à CBS que manter a Turquia na Otan é de fundamental importância para a Casa Branca.

"Desempenha um papel muito importante. Por isso que perder a Turquia como aliado não é algo bom para Europa ou para os Estados Unidos. Vamos trabalhar para nos assegurar de que faremos todo o possível para mantê-la como membro da Otan", disse.

A Câmara de Representantes, entretanto, votou na terça-feira para sancionar Ancara por seu ataque, no mês passado, ao território controlado do norte da Síria controlado pelos curdos.

Nesse mesmo dia, também aprovou uma resolução em que se reconhece o "genocídio armênio" realizado pela Turquia.

Perguntado se Trump vetará as sanções impostas à Turquia, O'Brien se limitou a dizer: "Vamos ver o que acontece".