EUA impõem sanções ao Irã por atividades cibernéticas e ataque cibernético à Albânia

Bandeira do Irã em embaixada da Albânia

Por Daphne Psaledakis e Christopher Bing

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos impuseram nesta sexta-feira sanções ao Ministério de Inteligência e Segurança do Irã e seu ministro, acusando-os de estarem vinculados a um ataque cibernético em julho à Albânia e de se envolverem em outras atividades cibernéticas contra os EUA e seus aliados.

A medida ocorre depois que a Albânia cortou relações diplomáticas com o Irã na quarta-feira pelo mesmo incidente, ordenando que diplomatas iranianos e funcionários da embaixada saíssem dentro de 24 horas.

O Departamento do Tesouro dos EUA afirmou em comunicado que o Ministério de Inteligência e Segurança dirige várias redes de agentes de ameaças cibernéticas, incluindo aqueles envolvidos em espionagem cibernética e ataques de ransomware em apoio ao governo iraniano.

"Não vamos tolerar as atividades cibernéticas cada vez mais agressivas do Irã", disse o subsecretário para Terrorismo e Inteligência Financeira do Tesouro, Brian Nelson, no comunicado.

O ministério já tinha sido designado sob sanções dos EUA. A missão do Irã nas Nações Unidas em Nova York não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

(Reportagem de Daphne Psaledakis e Chris Bing em Washington; reportagem adicional de Michelle Nichols nas Nações Unidas)

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS TR