EUA anunciam inquérito sobre polícia de Mineápolis após assassinato de George Floyd

·1 minuto de leitura
Merrick Garland

(Reuters) - O procurador-geral dos EUA, Merrick Garland, lançou na quarta-feira uma investigação abrangente sobre as práticas de policiamento em Mineápolis após o veredicto de um júri de que o ex-policial Derek Chauvin assassinou George Floyd.

A investigação "vai avaliar se o Departamento de Polícia de Mineápolis se envolve em um padrão ou prática de usar força excessiva, incluindo durante protestos", disse Garland em entrevista coletiva.

A condenação de Chauvin foi um marco na história racial dos Estados Unidos e uma repreensão ao tratamento dado aos negros americanos pela aplicação da lei.

Garland disse anteriormente que fará a repressão à má conduta policial uma prioridade.

O presidente dos EUA, Joe Biden, qualificou a condenação de Chauvin como um "passo gigantesco" rumo à justiça no país.

O Departamento de Justiça já havia trazido a público uma investigação que analisa se os policiais envolvidos na morte de Floyd violaram seus direitos civis.

O Departamento de Justiça retirou na sexta-feira uma política implementada durante a administração do ex-presidente Donald Trump que limitava as ferramentas que o governo federal poderia usar para monitorar e investigar a má conduta policial.

(Reportagem de Sarah N. Lynch e Jan Wolfe)