EUA instam Azerbaijão a retirar tropas da Armênia imediatamente

·1 minuto de leitura
Soldado armênio dispara fogo de artilharia durante o confronto com o Azerbaijão em outubro de 2020

Os Estados Unidos instaram o Azerbaijão nesta sexta-feira (14) a retirar suas forças "imediatamente" da Armênia, depois que a mesma acusou tropas do país vizinho de penetrarem em seu território, denúncia que faz temer uma nova escalada, após a guerra de seis semanas do ano passado.

O Azerbaijão negou as acusações de infiltração e disse que estava apenas movendo as tropas de fronteira dentro das áreas sob seu controle.

Os Estados Unidos citaram relatos de que o Azerbaijão estava se retirando e instaram aquele país a fazê-lo sem demora. “Os movimentos militares nos territórios disputados são irresponsáveis e também desnecessariamente provocativos”, disse a porta-voz do Departamento de Estado, Jalina Porter. "Esperamos que o Azerbaijão retire todas as suas forças imediatamente e pare de fazer provocações", completou.

O primeiro-ministro armênio, Nikol Pashinyan, pediu apoio militar à Rússia nesta sexta-feira, dizendo também que a França considera colocar o assunto na agenda do Conselho de Segurança da ONU.

O Azerbaijão recuperou no ano passado um território controlado pela Armênia durante décadas, em combates que deixaram cerca de 6.000 mortos.

Os Estados Unidos mantêm laços estreitos com a Armênia e, no mês passado, o presidente Joe Biden deu um passo histórico ao reconhecer os assassinatos em massa de armênios de 1915-1917 pelo Império Otomano como genocídio. Washington também busca, no entanto, manter relações com o Azerbaijão, um importante ator energético e parceiro-chave de Israel, aliado dos Estados Unidos.

sct/st/gma/mls/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos