EUA lançam programa para ajudar mulheres em El Salvador, Guatemala e Honduras

·1 min de leitura
Migrantes que avançam em caravana para os Estados Unidos caminham na região de Donají, no estado de Oaxaca, México, em 16 de novembro de 2021 (AFP/CLAUDIO CRUZ) (CLAUDIO CRUZ)

Os Estados Unidos lançaram nesta quinta-feira (13) um programa para ajudar as mulheres em El Salvador, Guatemala e Honduras, que atribuíram aos esforços do governo de Joe Biden para abordar as causas profundas da migração irregular para sua fronteira sul.

A Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) convocou organizações americanas e estrangeiras com presença nestes três países centro-americanos para participar do "Desafio Mulher Próspera", anunciado em junho pela administradora Samantha Power durante sua visita a El Salvador.

A USAID disse esperar atribuir até 14 prêmios, cada um de 150.000 a 500.000 dólares, para propostas integrais e "de impacto" que promovam a segurança econômica, o emprego e/ou o empreendimento feminino.

"As soluções devem eliminar as barreiras sistêmicas e a discriminação, buscar ambiciosamente a igualdade e a equidade para todas as pessoas e abordar intencionalmente as necessidades das mulheres e das meninas, em particular das populações marginalizadas e desassistidas, inclusive, entre outras, as mulheres e meninas indígenas e afrodescendentes", disse em um comunicado.

A USAID informou que a data limite para a apresentação de candidaturas foi estendida a 14 de fevereiro, devido ao "alto interesse" na iniciativa. As atribuições serão anunciadas e começarão a ser implementadas em abril.

Os Estados Unidos estão experimentando uma afluência maciça de imigrantes em sua fronteira sul, a maioria procedente do chamado Triângulo do Norte centro-americano, formado por El Salvador, Guatemala e Honduras.

ad/lda/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos