EUA lançaram ataques cibernéticos contra o Irã, afirma imprensa americana

(2018) Foto divulgada pelo Exército iraniano mostra lançamento de míssil durante exercício antiaéreo

Os Estados Unidos realizaram nesta semana ataques cibernéticos contra sistemas de lançamento de mísseis e uma rede de espionagem do Irã, após a destruição por Teerã de um drone americano, afirmou neste sábado a imprensa americana.

O presidente Donald Trump cancelou bombardeios que havia programado contra o Irã, mas autorizou de forma secreta represálias contra os sistemas de defesa iranianos por meios cibernéticos, afirmaram o Yahoo! News e "Washington Post".

Segundo este último, um dos ataques teve como alvo computadores que controlam os lançamentos de mísseis e foguetes. O outro, segundo o Yahoo! News, visou a uma rede de espionagem iraniana reponsável por vigiar a passagem de embarcações pelo Estreito de Ormuz.

O Washington Post afirma que os ataques cibernéticos, planejados há várias semanas, teriam sido inicialmente propostos pelos militares americanos, em resposta a ataques contra navios petroleiros no Estreito de Ormuz em meados do mês, nos quais Teerã negou participação.

Procurada pela AFP, a Secretaria de Defesa dos Estados Unidos não quis comentar o assunto.

Em 2010, Teerã acusou os Estados Unidos e Israel de criarem, em plena crise envolvendo o programa nuclear iraniano, o poderoso vírus Stuxnet, com o qual infectaram milhares de computadores iranianos e bloquearam centrífugas usadas no enriquecimento de urânio.