'EUA mandam mais em Moro do que a mulher dele", dispara Lula

Lula concede entrevista ao jornalista Bob Fernandes - Foto: Youtube/Reprodução

RESUMO DA NOTÍCIA

  • "Bolsonaro foi o monstro que surgiu", diz Lula

  • O petista diz que o governo dos Estados Unidos interfere na gestão de Bolsonaro

Em entrevista ao jornalista Bob Fernandes, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tece críticas à Rede Globo, ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), ao ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro e ao procurador Deltan Dallagnol.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

"Bolsonaro foi o monstro que surgiu, que não era o que a Globo esperava, certamente. A Globo esperava alguém do time deles... Não tiveram coragem de lançar o Luciano Huck", afirmou o petista na entrevista que será publicada às 18h desta sexta-feira (16) no YouTube e às 22h na TVE/Bahia.

Leia também

Lula argumenta que a Globo trabalha defendendo o ex-juiz Sergio Moro, e por isso não publica as informações divulgadas pelo site The Intercept BR no que ficou conhecido como Vaza Jato. Ele afirmou também que o agora ministro da Justiça mantém forte ligação com os EUA.

“Hoje tenho clareza de que tudo o que está acontecendo aqui no Brasil da Lava Jato tem o dedo dos americanos. O departamento de Justiça americano manda mais no Moro do que a mulher dele", disparou o petista.

Sobre Deltan Dallagnol, o ex-presidente diz que o procurador "não tem tamanho para fazer o que faz", e que o Ministério Público deveria ter pedido a exoneração "desse moleque" após a coletiva de imprensa em que Dallagnol apresentou o power point com acusações contra ele.

Lula afirma que teve muitas oportunidades para sair do país e evitar ser preso, mas escolheu ficar no Brasil para provar sua inocência. E questiona a atuação de Sergio Moro na Operação Lava Jato, lembrando que a Polícia Federal confiscou o tablet de seu neto, à época com 4 anos de idade, mas não o celular do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha:

"O que tinha no telefone do Eduardo Cunha que o Moro não queria que ninguém soubesse? Por que eles não aceitaram uma delação do Eduardo Cunha? Tudo isso, o Moro tem que explicar e não tem mais toga. Se ele se escondeu atrás da toga, ele não tem mais. Ele virou um cidadão comum e precisa se explicar para a sociedade brasileira", pontua.

O ex-presidente argumenta também que há interferência dos Estados Unidos nas decisões do governo Bolsonaro: "O papel do Paulo Guedes é destruir a economia brasileira e fazer com que o Brasil seja um país totalmente vassalo e dependente dos Estados Unidos."