EUA não pretende decretar novos confinamentos, afirma Fauci

·1 minuto de leitura
O conselheiro da Casa Branca para a crise sanitária, Anthony Fauci

O conselheiro da Casa Branca para a crise sanitária, Anthony Fauci, disse neste domingo (1º) que não acha que os Estados Unidos precisem de novos confinamentos, mesmo se "a situação piorar" devido a uma "epidemia entre os não vacinados".

Poucos dias depois de voltar a impor o uso de máscaras em ambientes fechados para os vacinados e em meio ao aumento de casos pela variante Delta, Fauci considerou em uma entrevista à ABC que é pouco provável que os Estados Unidos voltem "para a mesma situação do inverno" boreal.

"Não acho que teremos confinamentos", afirmou Fauci, mesmo que "a situação se agrave" devido à "epidemia entre os não vacinados".

"A solução é estar vacinado", acrescentou o imunologista, elogiando a eficácia das vacinas contra a covid-19, que evitam a forma grave da doença, a hospitalização e a morte.

"Quando as pessoas não vacinadas se infectam, propagam a dinâmica da epidemia, o que produz um impacto em todo o mundo", explicou.

"As vacinas são incrivelmente eficazes até mesmo contra (a variante) Delta", confirmou Francis Collins, diretor dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH), no canal CNN.

As novas restrições surgem porque os vacinados aparentemente são contagiosos. Mas servem principalmente para proteger os não vacinados, porque quem se imunizou tem "25 vezes menos chances" de ficar gravemente doente, ressaltou.

Quase 60% dos adultos dos EUA estão vacinados, mas persistem fortes disparidades entre o norte, geralmente mais imunizado, e o sul, que é mais relutante.

led/aue/lda/lm/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos