EUA nomeiam Rob Malley como emissário para o Irã, apesar de críticas

·2 minuto de leitura
(Arquivo) Rob Malley, em Washington

O novo governo do presidente democrata Joe Biden nomeou Robert Malley - um dos arquitetos do acordo nuclear com o Irã de 2015 - como emissário especial para o Teerã, apesar de críticas dos falcões que o acusam de ser muito brando com a república islâmica.

O novo chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, está "formando uma equipe especializada" para gerenciar as relações com o Irã, que será liderada por Malley, informou uma fonte do Departamento de Estado nesta sexta-feira (29).

Malley é amigo de infância de Blinken e foi diretor do centro de estudos International Crisis Group, um órgão independente e não-governamental focado na resolução de conflitos.

Antes disso, ele foi um dos negociadores importantes do acordo nuclear alcançado entre o Irã e várias potências mundiais, sob o qual Teerã prometeu conter suas ambições nucleares em troca de alívio nas sanções econômicas.

Malley chega ao cargo com um histórico de negociações bem-sucedidas para limitar o programa nuclear do Irã, observou o funcionário do Departamento de Estado.

"O secretário está confiante de que ele e sua equipe conseguirão fazê-lo uma vez mais", acrescentou.

O acordo foi firmado durante o governo Barack Obama, quando Biden era vice-presidente.

Em 2018, o ex-presidente republicano Donald Trump retirou o país unilateralmente do acordo, que também foi assinado pelo Reino Unido, França, China, Alemanha e Rússia.

Trump afirmou que o acordo não foi duro o suficiente para o Irã e observou que ele não abordou as ações "desestabilizadoras" do Irã no Oriente Médio. Depois de sair do pacto, iniciou uma bateria de sanções contra Teerã.

Esta semana, Blinken confirmou que o governo recém-assumido quer voltar ao acordo, assim que Teerã cumprir com seus compromissos.

O Irã, por sua vez, respondeu às sanções reduzindo o cumprimento do acordo, e agora quer que Washington dê o primeiro passo.

Mesmo antes de ser nomeado, rumores de que Malley poderia assumir o cargo geraram críticas de falcões da extrema-direita contrários ao Irã.

"É realmente preocupante que o presidente Biden esteja considerando nomear Rob Malley para liderar a política iraniana", comentou o senador republicano Tom Cotton no Twitter na semana passada.

"Malley tem um histórico de simpatia pelo Irã e desaprovação por Israel. Os aiatolás não acreditarão em sua sorte caso seja escolhido", concluiu.

fff/sst/an/rs/bn