EUA oferecem US$ 5 mil por informações sobre professora de ioga suspeita de matar campeã de ciclismo

Autoridades americanas anunciaram recompensa de US$ 5 mil por informações que levem ao paradeiro de uma professora de ioga suspeita de assassinar uma ciclista profissional. O valor é oferecido por informações à respeito de Kaitlin Armstrong, de 34 anos, considerada a principal suspeita de matar à tiros Anna Moriah Wilson — conhecida como Mo, de 25 anos, na cidade de Austin, no Texas, Estados Unidos, em 11 de maio.

'A equipe recebeu ameaças': Indigenista da Funai e jornalista inglês estão desaparecidos no Vale do Javari, na Amazônia

Clima de pânico: Homem é preso na França por misteriosos ataques com agulhas em boates e festivais de música

'Defender o país': Macron aconselhou Mbappé a ficar no Paris Saint-Germain

Mo Wilson foi encontrada "sangrando e inconsciente" por ferimentos à bala pela polícia em uma casa. A atleta morreu ainda no local. Ela estava na cidade devido a uma corrida.

A investigação determinou que Kaitlin — mesmo sem serem encontradas reservas em seu nome — embarcou em um voo no Aeroporto Internacional de Austin com destino ao Aeroporto de Houston em 14 de maio, três dias após a ciclista ter morrido. Em seguida, ainda fez conexão para o Aeroporto de La Guardia, em Nova York.

Flagra em traição: Mulher atropela e mata namorado nos EUA após rastreá-lo com app

A suspeita foi flagrada pelas câmeras de segurança de um dos aeroportos. Desde então, ela nunca mais foi vista. Assista o vídeo:

'Heróis': Ucrânia diz que 32 jornalistas morreram desde o início da guerra contra a Rússia

Além da suspeita de homicídio, no último dia 25 um novo mandado de prisão foi expedido contra ela: por "voo ilegal para evitar processos".

Viagem para a corrida

Anna Moriah Wilson era do estado de Vermont, na região da Nova Inglaterra, nos Estados Unidos. No Texas devido à "Gravel Locos", corrida que aconteceria no dia 14 de maio, o nome de Mo ainda consta entre os ciclistas que correriam nesta edição.

Após solicitar uso de nome social: Criança transgênero de 12 anos tem casa apedrejada em Poções, na Bahia

Em publicação no Instagram no dia da competição, a Gravel Locos colocou como legenda de sua publicação a hashtag "ForMo", dedicando a corrida a ela. Após a entrega dos troféus, o perfil fez uma dedicatória à atleta.

"Em você encontramos um modelo a seguir, uma pessoa tímida e compassiva, uma corredora tática, espirituosa e uma competidora que genuinamente se importava com aqueles que competiam contra você mesmo", dizia o texto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos