EUA pede ajuda à agência de emergências para atender aumento de crianças migrantes

·2 minuto de leitura
Crianças em acampamento de migrantes em Ciudad Juarez, México, em 13 de dezembro de 2019

O governo dos Estados Unidos pediu no sábado (13) à agência de emergências FEMA para ajudar com o crescente número de crianças migrantes que estão cruzando a fronteira com o México, devido à sobrecarga dos estabelecimentos de atendimento.

O secretário de Segurança Nacional, Alejandro Mayorkas, pediu à Agência Federal para a Gestão de Emergências (FEMA) que apoie os esforços para abrigar temporariamente milhares de crianças que cruzaram sozinhas a fronteira sul, em meio a críticas de que as autoridades as detiveram por longos períodos em instalações lotadas.

O Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS) cuida atualmente de 8.800 crianças migrantes e o Escritório de Alfândega e Proteção Fronteiriça (CBP) de outras centenas. Enquanto isso, todos os dias há novas chegadas.

Somente em fevereiro a CBP deteve 9.457 crianças migrantes não acompanhadas na fronteira sul. Suas instalações estão sobrecarregadas e as autoridades encontram um desafio duplo devido às restrições relacionadas à covid-19.

O Departamento de Segurança Nacional disse em um comunicado que a FEMA seria parte de um esforço de 90 dias para garantir que as crianças estejam abrigadas de maneira segura e que sejam entregues às pessoas que cuidarão delas, geralmente familiares que já moram nos Estados Unidos.

"O governo federal está respondendo à chegada de um número recorde de pessoas, incluindo crianças não acompanhadas, na fronteira sudoeste", disse o departamento.

"Desde abril de 2020, o número de encontros na fronteira aumentou devido à violência contínua, aos desastres naturais, à insegurança alimentar e à pobreza nos países do Triângulo Norte da América Central".

O governo do presidente Joe Biden enfrenta uma crescente pressão dos migrantes, aparentemente encorajados a tentar entrar nos Estados Unidos pela rejeição do novo presidente à política de "tolerância zero" de seu antecessor Donald Trump em relação aos imigrantes sem documentos.

Embora os adultos e as famílias migrantes continuem sendo enviados de volta para o México quando são capturados, as crianças não acompanhadas recebem ajuda para ficar com parentes americanos.

"Nosso objetivo é garantir que as crianças não acompanhadas sejam transferidas ao HHS o mais rápido possível, de acordo com os requisitos legais e no melhor interesse deles", disse Mayorkas em um comunicado.

pmh/acb/dg/lda/aa