EUA pede a Rússia para não 'intimidar' a Ucrânia

·1 minuto de leitura
O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, fala durante uma coletiva de imprensa no Departamento de Estado em Washington, DC, em 31 de março de 2021

Os Estados Unidos alertaram a Rússia, nesta quinta-feira (1), para se abster de "intimidar" a Ucrânia, depois que o país alegou que Moscou está enviando tropas para sua fronteira.

"Estamos absolutamente preocupados com a recente escalada de ações agressivas e provocativas da Rússia no leste da Ucrânia", disse o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, a repórteres.

"Nos opomos a ações agressivas que visam intimidar e ameaçar o nosso parceiro Ucrânia".

Autoridades ucranianas e americanas relataram movimentos militares na Crimeia, que a Rússia anexou da Ucrânia, bem como em áreas da fronteira do Donbass sob o controle de separatistas apoiados por Moscou.

Tanto o Secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, como o Secretário de Estado, Antony Blinken, pediram aos seus homólogos ucranianos que sublinhem o seu apoio.

Em um telefonema ao ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba, Blinken "afirmou o apoio inabalável dos Estados Unidos à soberania e integridade territorial da Ucrânia em face da contínua agressão russa em Donbass e na Crimeia", disse Price.

sct/ec/yo/gma/ap/mvv