EUA pedem ao Haiti para realizar eleições este ano, conforme planejado

·1 minuto de leitura
Uma das agentes da polícia haitiana busca evidências na residência oficial do presidente morto, Jovenel Moise, em Porto Príncipe

Os Estados Unidos pediram ao Haiti nesta quarta-feira(7), que avance com as eleições marcadas para o final deste ano, dizendo que elas podem apresentar um caminho a seguir após o assassinato do presidente Jovenel Moise.

"Ainda é a opinião dos Estados Unidos de que as eleições este ano devem prosseguir", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, a repórteres, acescentando que uma votação justa "facilitaria uma transferência pacífica de poder para um presidente recém-eleito".

Moise foi morto na manhã desta quarta-feira por um comando armado que invadiu sua casa.

Sua esposa ficou gravemente ferida. O primeiro-ministro Claude Joseph decretou estado de sítio no país caribenho já mergulhado em crise política e de segurança.

Moise indicou Ariel Henry como o novo primeiro-ministro na segunda-feira, com a missão de realizar as eleições.

Em meio à insegurança e à violência de gangues que geram temores de que o país caia na anarquia generalizada, o Conselho de Segurança da ONU, os Estados Unidos e a Europa consideram prioritário a realização de eleições presidenciais e legislativas livres e transparentes antes do final do ano.

sct/st/jc/bn

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos