EUA pedem a seus cidadãos que abandonem o Iraque 'imediatamente'

Iranianos rasgam bandeira americana durante protesto em Teerã, 3 de janeiro de 2020, após o assassinato do general da Guarda Revolucionária Iraniana Qasem Soleimani em um ataque dos EUA em Bagdá

O Departamento de Estado americano pediu a seus cidadãos, nesta sexta-feira (3), que deixem o Iraque "imediatamente", depois de um bombardeio orquestrado por Washington que matou o comandante iraniano Qassem Soleimani, em Bagdá.

"Devido ao aumento das tensões no Iraque e na região, pedimos aos cidadãos americanos que abandonem o Iraque imediatamente", tuitou o Departamento de Estado.

"Devido aos ataques das milícias pró-Irã no complexo da embaixada dos Estados Unidos, todas as operações consulares estão suspensas. Os cidadãos americanos não devem se aproximar da embaixada", completa a nota.

As forças dos Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira que mataram o influente general Soleimani em um bombardeio no aeroporto internacional de Bagdá, que também matou Abu Mehdi al Muhandis, com dupla cidadania iraquiana e iraniana e que era o número dois das Forças de Mobilização Popular, ou Hashd al Shaabi, uma coalizão de paramilitares majoritariamente pró-Teerã integrados ao Estado iraquiano.