Casa Branca garante vontade de Trump de encontrar Kim, mas não confirma data

Washington, 28 mar (EFE).- A Casa Branca garantiu nesta quarta-feira que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quer reunir-se o mais rápido possível com o líder norte-coreano Kim Jong-un, mas não quis confirmar se o encontro vai acontecer antes do final de maio como antecipou neste mês o governo sul-coreano.

"Obviamente, esta reunião tem uma importância global. Queremos assegurar-nos que aconteça o mais rápido possível, mas também queremos assegurar-nos que seja feita da forma adequada, e estamos trabalhando para esse objetivo", disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, na sua entrevista coletiva diária.

Durante sua visita à China, Kim entregou ao presidente da China, Xi Jinping, uma "mensagem pessoal" para Trump, segundo revelou ontem à noite Sanders, embora a Casa Branca não tenha dado detalhes sobre o conteúdo dessa comunicação.

Os Estados Unidos consideram positiva a visita de Kim à China, que representou a primeira viagem ao exterior do líder norte-coreano desde que assumiu o cargo em 2011.

"Estamos cautelosamente otimistas, mas acreditamos que as coisas se movem na direção adequada e que a reunião de ontem (entre Kim e Xi) foi uma boa indicação de que a campanha de máxima pressão está funcionando", ressaltou Sanders.

"Seguiremos avançando neste processo com a esperança de que haja uma reunião mais adiante", acrescentou.

A Casa Branca nunca chegou a confirmar que a reunião entre Trump e Kim está marcada para antes do final de maio, como assegurou no início deste mês um alto funcionário sul-coreano, Chung Eui-yong, em sua visita a Washington.

O que a porta-voz de Trump deixou claro é que o presidente "aceitou a oferta" de reunir-se com Kim, e espera-se que essa reunião aconteça em algum momento.

Trump afirmou hoje que Xi lhe tinha informado que a reunião com Kim foi "muito boa", e ressaltou no Twitter que, enquanto prepara seu próprio encontro com o líder norte-coreano, "as sanções e a pressão máxima devem ser mantidas a todo custo".

"Agora há uma boa oportunidade de que Kim Jong-un faça o correto para o seu povo e para a humanidade. Espero a nossa reunião!", destacou Trump. EFE