EUA precisam reduzir emissões em 57% para cumprir meta climática de Paris, diz relatório

Valerie Volcovici
·1 minuto de leitura
Bandeira dos EUA em embarcação perto de usina de carvão próxima ao rio Ohio

Por Valerie Volcovici

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos precisam estabelecer a meta de reduzir suas emissões de gases de efeito estufa entre 57% e 63% abaixo dos níveis de 2005 até 2030 para atingirem o objetivo de prazo mais longo do governo Biden de zerar as emissões até 2050, de acordo com uma análise divulgada nesta quinta-feira.

A Climate Action Tracker (CAT) analisou os planos do presidente Joe Biden para descarbonizar o setor elétrico, edifícios comerciais e novas frotas de veículos e descobriu que, para que os EUA façam sua parte para limitar a elevação das temperaturas globais a 1,5 grau Celsius – a meta do Acordo de Paris –, precisam cortar ao menos 57% de suas emissões até o fim da década.

A análise chega no momento em que os EUA estão prestes a anunciar seu novo compromisso com o Acordo de Paris para 2030, conhecido como Contribuição Determinada Nacionalmente, antes de uma cúpula de líderes climáticos que o país sediará no dia 22 de abril.

Autoridades da União Europeia e grupos ambientalistas estão pedindo que Washington reduza as emissões em ao menos 50% em relação ao níveis de 2005 nesta década.

"Os EUA adotarem uma ação tão forte reverberaria em todo o mundo, e faria com que outros países também se movimentassem para adotar o tipo de metas que precisam para tornar as emissões globais zero uma realidade", disse Bill Hare, da Climate Analytics, coparceira da CAT com o NewClimate Institute.

A equipe climática de Biden está trabalhando com todas as agências de governo e realizando reuniões com prestadoras de serviço e montadoras enquanto elabora sua nova meta.