EUA pressionam Rússia a aceitar troca de prisioneiros após condenação de Griner

Jogadora de basquete norte-americana Brittney Griner, que foi condenada a 9 anos de prisão

Por Heather Timmons

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos pressionaram a Rússia a aceitar um acordo que busca libertar dois norte-americanos presos na Rússia, após um deles, a estrela do basquete Brittney Griner, ser condenada a 9 anos de prisão nesta quinta-feira em uma acusação por posse de drogas.

“É uma proposta séria. Nós os incentivamos a aceitarem. Eles deveriam ter aceitado semanas atrás quando a fizemos pela primeira vez”, disse o porta-voz de segurança nacional da Casa Branca, John Kirby, sem dar mais detalhes.

Washington ofereceu trocar o traficante de armas russo Viktor Bout, que cumpre sentença de 25 anos de prisão nos Estados Unidos, por Griner e o ex-fuzileiro naval Paul Whelan, disseram fontes com conhecimento da situação à Reuters.

A Rússia havia tentado acrescentar o assassino condenado Vadim Krasikov, que está preso na Alemanha, à troca, disse uma fonte com conhecimento do assunto à Reuters.

Ao ser questionado nesta quinta-feira se Washington estaria disposto a reconsiderar o pedido da Rússia após a sentença de Griner, Kirby rechaçou: “Acho que nem chamaríamos isso de uma contraproposta”.

Whelan, que tem passaportes de EUA, Reino Unido, Canadá e Irlanda, foi condenado a 16 anos de prisão em 2020 na Rússia por espionagem. Griner foi condenada e sentenciada nesta quinta-feira por levar cartuchos de vape com óleo de haxixe à Rússia.

(Reportagem de Heather Timmons, em Washington)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos