EUA reagirá se o Irã o atacar para marcar a morte de Soleimani

·1 minuto de leitura
O general americano Frank McKenzie

Os Estados Unidos estão "prontos para reagir" se o Irã o atacar por ocasião do primeiro aniversário da morte do general Qassem Soleimani, alertou neste domingo o chefe das forças americanas no Oriente Médio, o general Frank McKenzie, em uma viagem à região duas semanas antes desse aniversário.

"Estamos prontos para nossa defesa e a de nossos amigos e aliados na região, e estamos prontos para reagir se necessário", disse McKenzie, chefe do Comando Central do Exército dos Estados Unidos (Centcom), a jornalistas.

"Estamos em uma posição muito boa e estaremos prontos, seja o que for que os iranianos ou seus aliados decidam fazer", acrescentou ele em uma entrevista por telefone de um local não especificado na região.

O comandante do Centcom disse que viajou para Bagdá, onde se encontrou com o chefe das forças da coalizão anti-jihadista, o general americano Paul Calvert, bem como com o chefe do Estado-Maior iraquiano, o general Abdul Amir Yarallah.

Ele também viajou para a Síria para se encontrar com as forças posicionadas na base de al-Tanf, no sul.

Esta excursão, que não foi anunciada, é um sinal de que os Estados Unidos temem uma operação iraniana para vingar o poderoso general iraniano Qassem Soleimani, morto em 3 de janeiro de 2020, durante um ataque com drone perto do aeroporto de Bagdá.

sl/tu/yow/mr