EUA registra mais de 10.000 mortes por coronavírus

Pessoa improvisa máscara de proteção na região do Brooklyn

Os Estados Unidos registram até o momento mais de 10.000 mortos devido ao novo coronavírus desde que o primeiro caso no país foi relatado no final de janeiro, informou a Universidade Johns Hopkins nesta segunda-feira.

A Covid-19 matou 10.335 pessoas nos Estados Unidos, tornando o país o terceiro com mais óbitos por causa da doença, atrás da Itália (16.523) e da Espanha (13.169).

A principal economia do mundo totaliza 347.003 infectados, mais de um quarto do total global de 1.309.439 casos, informou a universidade de Baltimore, cujo levantamento de dados é tomado como referência.

O número de mortes diárias está diminuindo em alguns dos países europeus mais afetados, mas o territorio americano ainda não atingiu o pico da crise, segundo especialistas.

Desde a semana passada, os Estados Unidos registraram mais de 1.000 novas mortes diariamente, em meio a medidas para conter a propagação do vírus aplicada em maior ou menor grau por 94% dos estados e territórios.

Nova York é o foco principal do surto no país, com mais de 4.750 vitimas fatais em todo o estado e 130.000 casos, mais da metade deles na cidade de Nova York.

As autoridades alertaram que entre 100.000 e 240.000 pessoas poderiam morrer por Covid-19 nos Estados Unidos, mesmo que diretrizes de distanciamento social sejam estritamente observadas para evitar infecções.

O novo coronavírus, cuja propagação foi classificada como pandêmica pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 11 de março, matou mais de 70.000 pessoas em todo o mundo desde que o primeiro caso foi relatado em dezembro na China, de acordo com uma contagem da AFP a partir de fontes oficiais.