EUA registra recorde de 100 mil mortes por overdose em um ano

·2 min de leitura
Comprimidos apreendidos pela DEA em abril de 2021 em Los Angeles, Califórnia (AFP/Patrick T. FALLON)

Os Estados Unidos registraram um recorde de mais de 100.000 mortes por overdose em um ano durante a pandemia, informaram as autoridades de saúde nesta quarta-feira (17).

Entre abril de 2020 e abril de 2021, o país registrou 100.306 overdoses fatais, um aumento de 28,5% em relação ao mesmo período do ano anterior (78.056 mortes), segundo dados provisórios do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

É a primeira vez que a barreira simbólica de 100.000 mortes é superada. Isso implica uma morte a cada cinco minutos.

"Meu governo está empenhado em fazer tudo ao nosso alcance para tratar o vício e acabar com a epidemia de overdose", reagiu o presidente Joe Biden em um comunicado.

"Enquanto continuamos a fazer progressos para derrotar a pandemia de covid-19, não podemos ignorar esta epidemia de mortes, que afeta famílias e comunidades em todo o país", acrescentou.

Já o secretário da Saúde, Xavier Becerra, disse aos jornalistas que "é hora de enfrentar o fato de que esta crise parece estar piorando".

"Precisamos colocar todas as nossas mãos para trabalhar", disse ele.

A pandemia acelerou um fenômeno que já crescia, ao aumentar o isolamento de certas populações, segundo especialistas.

"Essas overdoses são causadas principalmente por opiáceos sintéticos, especialmente o fentanil fabricado ilegalmente", disse Deb Houry, do CDC, em entrevista coletiva.

Embora as overdoses ligadas à metanfetamina, um estimulante igualmente altamente viciante, ou cocaína, também aumentaram.

"Os traficantes de drogas e suas redes inundam nossos bairros com fentanil e metanfetamina na forma de pílulas falsas, alertou Anne Milgram, chefe da agência antidrogas dos Estados Unidos (DEA).

Os cartéis mexicanos, que usam produtos químicos importados da China, fazem os consumidores acreditar que estão comprando remédios homologados e que podem ser obtidos com receita, quando na verdade são produtos falsificados muito perigosos, explicou.

Este ano, a DEA apreendeu "mais de 14 milhões de comprimidos falsificados, um número que cresce dramaticamente a cada ano", ressaltou.

"Essas drogas mortais são encontradas em todos os estados" nos Estados Unidos.

O governo federal anunciou especialmente que planeja melhorar o acesso ao naloxone, um antídoto capaz de conter uma overdose.

"Acredito que ninguém deveria morrer de overdose só por falta de acesso ao naloxone", disse Rahul Gupta, diretor do escritório governamental encarregado da estratégia nacional de drogas.

"Mas, infelizmente, isso acontece atualmente em todo o país", concluiu.

la/rle/lda/yow/jc/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos